Bonelli News: Editora Lorentz é noticia na Itália!

E durante a estada de nosso colaborador Thiago Gardinali na Itália, eis que Roberto Recchioni, curador de Dylan Dog, surge!

Para quem desconhece a figura, Recchioni é dono de uma vida editorial e artística invejável. Sua estréia no “lado escuro” dos quadrinhos veio com inúmeros trabalhos desde 1994. Atuou na StarShop, no qual atuou como criador, roteirista e designer de Dark Side – Batalha, minissérie de dois números. Trabalhou também na Comic Art sendo co-criador e designer de minissérie Punho, de três números, sem contar sua atuação na Rizzoli (em publicidade), Magic Press (editor), Astorina (escritor de vários números Diabolik), Eura Editoriale (criador e roteirista de várias séries), casa Bonelli (escritor e curador de Orfani e Dylan, roteirista de dois números de histórias), além de passagens pelas casas editoriais Disney e Panini.

No Extra-Comics o trabalho incluiu a colaboração com as revistas X-Files, CineAttack!, Ficção, Pc Zeta e Game Pro. Foi colunista da Revista Resident Evil, e Cliffhanger Wildstorm para a Magic Press, e tem colaborado em um ensaio sobre artes marciais publicadas pela ADN Kronos.

Em 2009, ele escreveu o roteiro da HQ baseada na história “Cronicas do Mundo Emergente“, saga de fantasia escrita por Licia Troisi. Já em 2012 (a parte que mais nos interessa), escreveu o livro n° 2 da nova série Bonelli, intitulada “Le storie“, com o título “La redenzione del samurai”,  lançado em novembro do mesmo ano. Mas sua história com a SBE já vem de 2009, com a produção do roteiro da história Fuori tempo massimo, publicada na Dylan Dog Color Fest número 1. 

A partir dai, muitas foram as publicações envolvendo Roberto e Dylan. O roteirista é conhecido até mesmo do publico texiano, já que teve duas aparições ao lado dos geniais desenhistas Accardi e Del Vecchio:

Mas os laços com Dylan ficaram mais estreitos em 20 de maio de 2013, oportunidade na qual o diretor editorial da Sergio Bonelli Editore, Mauro Marcheselli, anunciou que Recchioni seria o novo editor de Dylan Dog juntamente com o designer Emiliano Mammucari.

Mais tarde no mesmo ano, foi publicada a obra Orfani, a primeira série full-color da casa Bonelli, lançada nas bancas em 16 de outubro.

Desde seu primeiro envolvimento com a casa Bonelli e com o nosso investigador de pesadelos, Recchioni é considerado uma espécie de sucessor do Tiziano Sclavi, e recebeu muito bem nosso amigo no velho mundo. Durante uma das inúmeras conversas que Thiago teve com Roberto, o título recém lançado aqui no Brasil, pela Editora Lorentz, foi pauta de discussão:

“Ele me disse uma coisa bacana: ‘não poderiam ter escolhido história melhor para retomar a publicação’. E elogiou o anúncio da revista que eu mostrei a ele.

Segundo nosso correspondente, Recchioni ficou muito feliz e satisfeito em ver o público brasileiro consumindo tão bem o título. Para os autores é uma honra sem a qual não convivem: mais do que a “simples” venda do título é a paixão nutrida pelos leitores com os desenhos e roteiros.

O estreitamento de relações que a Editora Lorentz está promovendo é hercúleo. E se você quer saber sobre o lançamento que está sendo notícia na Europa, acompanhe nossa primeira publicação e cobertura de lançamento acessando aqui!

Parabéns à toda equipe que batalhou para trazer Dylan Dog para o Brasil. E que o título continue sendo publicado com a mesma maestria que foi capaz de encantar até mesmo o genial e único Roberto Recchioni. Que venham os próximos títulos!

 

 

Compartilhe

One comment

  1. Parland mac

    Parabéns pelo editorial, ótimo artigo sobre mais esse autor da casa Bonelli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *